Segunda-feira, 23 de Outubro de 2006

Prazer solitário

Existem imensas coisas que nos podem dar prazer nesta vida.

Umas coisas em comum outras que são apenas nossas.

Eu tenho um prazer muito meu que apenas se podem concretizar em dias de chuva.

Adoro conduzir.

Mas os carros de agora teem imensa segurança, chips e controles em que eles tomam conta de nós e não nos deixam fazer o que desejamos.

Por isso nunca conseguimos atingir os limites dos carros chegamos ao nosso limite antes de chegarmos ao deles e aí o prazer da verdadeira condução não existe.

Mas em dias de chuva tudo muda.

Numa estrada deserta com curvas, buracos, inclinações incorrectas, poças aí sim é tudo bem diferente.

Aí sim o limite do carro é atingido antes do nosso limite.

Temos que saber dosear a travagem, a direcção, o acelarador num bailado de pés e mãos perfeito.

Sentir a roda a lutar com o piso molhado em busca de tracção.

Doseando a acelaração para que a roda não patine, rodar o volante umas vezes suavemente como uma pena e outras em movimentos bem bruscos para mostrar á máquina que quem manda somos nós que ela tem que ir para onde queremos e não apenas ao sabor de desejos mecânicos.

Saber travar sentir as rodas a parar e reagir antes dos sistemas electrónicos, ter o controle apenas na nossa mente sermos nós o verdadeiro cérebro.

E sim dominar a máquina.

E ao fim de algum tempo com a roupa colada ao corpo do suor e com um sorriso de orelha a orelha somos nós mesmos.

É bom quando chove e conseguimos ter um pequeno prazer destes.

Devemos sempre pugnar pelos nossos prazeres.

 

sinto-me : Satisfeito
música: O barulho do motor
publicado por ZePedro às 16:05
link do post | pensamentos vossos | favorito
|
9 comentários:
De Maria Alfacinha a 23 de Outubro de 2006 às 18:32
Espero, do fundo do coração, que consigas sempre dominar a máquina. Se a morte já não é propriamente um acontecimento feliz, não precisa de ser estúpida também :-)

Beijo preocupado
De ZePedro a 25 de Outubro de 2006 às 16:23
Não é para te preocupares
É um exercicio de teste com a perfeita noção dos limites
Mas que é gratificante
Bigado sem preocupações
Beijo
De Madalena a 23 de Outubro de 2006 às 21:28
Olha ao contrário do post anterior, este foi o que menos gostei e que me deixou super preocupada....
Acho que nunca devemos pensar que conseguimos dominar as máquinas, porque sabemos que nem sempre é assim.
Compreendo que para ti seja um prazer, porque és uma pessoa que gosta de correr riscos, mas não arrisques demasiado, podes não ter tempo de concretizar tudo aquilo que tanto queres e por que lutas.
Toma mas é lá juízo e não enfernizes quem gosta de ti, malvado!
E além disso sabes o que eu penso em relação ao conduzir, que tenho horror e por isso nunca tirei a carta de condução, imagina o que senti ao ler estas palavras malucas!
Bjs repletos de preocupação.
Madalena
De ZePedro a 25 de Outubro de 2006 às 16:31
Temos sempre que saber dominar a maquina que temos
Não somos escravos da maquina mas sim a maquina a nossa escrava
Por isso a maquina tem que saber quem é o dono
E nós sabermos até onde ela vai
É apenas uma realização nada mais
Beijos
De FM a 24 de Outubro de 2006 às 02:11
Pezitoooooooo
só tu me cmpreendes!!!
é quase como se tivesse orgasmos platónicos!!!!
é como vos disse, algures, num post anterior... assi que começa a chover, lá vou eu agarrar-me ao meu rico carrinho!!!
(mas claro, que uso o cinto de segurança, verifico o oleo do motor e das pastilhas, o nivel de àgua, se tenho o deposito cheio, e o colete de emergência, assim como um kit de sobrevivencia!)
Bj

FM

(continua assim peztooo, fazes-me soltar umas boas gargalhadas, de quando em vez)
De ZePedro a 25 de Outubro de 2006 às 16:33
Não mistures as coisas
Prazer sim mas orgasmo não
Mas faz sempre com a segurança na mente
Beijo
De Angelzita a 25 de Outubro de 2006 às 19:13
Da minha vivência algo me diz que a maioria dos Homens tem alguma maior ou menor necessidade de dominar os carros....as Mulheres também mas numa percentagem significativamente inferior

Como Mulher e Condutora eu actuo de modo algo diferente : gosto de saber reconhecer o limite da máquina...ou seja preciso de a levar ao seu máximo....deixar-me inebriar na sua potência e....reconhecer que ela me é superior no momento ou segundo certo. Arrisco sem dúvida na estrada....levo a máquina até ao seu máximo mas nunca a pretendo dominar....só quero entender e perceber onde é o "risco cinzento escuro"

Como tal embora em posturas algo diferentes, entendo o teu prazer em dominar a máquina...mas permite-me que te aconselhe que não exageres....e se tiveres de ser dominado por ela....pára a tempo o teu desenfreado desejo....a vida é mais valiosa do que o domínio

Beijos
Angela
De ZePedro a 26 de Outubro de 2006 às 13:55
A vida é um bem muito mais precioso que o domínio sem duvida nenhuma.
Mas para mim o domínio é fazer com que a máquina me obedeça quando eu desejo pois não passa de uma máquina e eu sou um ser pensante e para mim a mente domina a máquina.
Mas gostei de te ler
Beijos
De Leonel Morais a 19 de Janeiro de 2007 às 17:22
Exmos.(as) Senhores (as)
O Espaço t – Associação Para o Apoio à Integração Social e Comunitária vai realizar nos dias 22 e 23 Março de 2007 o V Congresso Internacional, intitulado “Morte, Cultura e Arte” que terá lugar no Seminário de Vilar – Rua de Arcediago Vanzeller, Porto.
Esta iniciativa surge integrada num ciclo de congressos bianuais, com o objectivo de discutir temáticas que de outra forma não seriam debatidas.
O Espaço T promove assim um espaço de reflexão sobre a morte e as diferentes formas de ver e sentir, nas diferentes culturas de um mundo multicultural. Os três anteriores congressos “A Arte pode ser Terapêutica?”, “ O Onírico, a Arte e a Terapia” e “O Silêncio, O Ruído e Tudo o Resto”, contaram em cada um deles, com a participação de aproximadamente 800 congressistas.
Segundo Jorge Oliveira, presidente do Espaço T “iremos reflectir sobre a morte do corpo e de todas as outras mortes, que desde o nascimento surgem num corpo ao qual podemos chamar templo das mortes. Perspectivar os vários conceitos de morte/vida e o papel da morte na vida”.
Este congresso conta com cerca de 40 palestrantes nacionais e internacionais, que de alguma forma, irão debater esta temática, resultantes das suas actividades profissionais, bem como das suas vivências pessoais e culturas.
Nomes como Daniel Serrão (médico), Moisés Espírito Santo (sociólogo), Filipa Gonçalves (transexual), Pinto da Costa (médico legista), José António Luz (espírita), Elisabete Dâmaso (Cientologia), David Oakford (near-death experience) entre muitos outros. ….
A mesa de Honra deste congresso é presidida pelo Presidente da República – Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva.
Este Congresso, para além de inúmeras surpresas que acontecerão durante estes 2 dias, terá um jantar denominado “ Manjar dos Deuses”.
Gostaríamos que a V. Instituição pudesse estar presente neste

Participe neste projecto divulgando-o!


“Com a morte de cada homem termina um universo cultural específico, mais ou menos rico mas sempre original e irrepetível. O que o homem deixa quando morre – os seus escritos, os objectos culturais que criou, a memória da sua palavra, dos seus gestos ou do seu sorriso naqueles que com ele viveram, os filhos que gerou – tudo exprime uma realidade que está para alem do corpo físico, de um certo corpo físico que esse homem usou para viver o seu limitado tempo pessoal de ser homem.”
Daniel Serrão
In "Viver, envelhecer e morrer com dignidade"

Programa do 5º Congresso Internacional do Espaço T
“Morte, Arte e Cultura”

22 DE MARÇO 2007
9:00 Entrega da documentação
9:30 Sessão de abertura
10:30 Conferência "choramos a morte e afinal que enigma é este?"
11:00 Café paraíso
11:15 Mesa redonda "morte e culturas"
13:00 Almoço
14:30 Mesa redonda "a morte do prazer vs o prazer da morte"
16:00 Sumo dos anjos
16:30 Mesa redonda "a morte passou por mim"
21:00 Jantar social "manjar dos deuses"

23 DE MARÇO 2007
9:30 Mesa redonda "a morte nas artes "
11:00 Café supremo
11:15 Mesa redonda "do nascimento à morte vai um passo e depois?"
13:00 Almoço
14:30 Mesa redonda "tantas mortes num só corpo: templo das mortes"
16:00 Porto sentido
16:30 Mesa redonda "cuidar a morte antes da morte"
17:30 Conferência: "o que nos dizem os mortos?"
18:30 Sessão de encerramento

DATA LIMITE DE INSCRIÇÕES: 19 DE Março de 2007
INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: ESPAÇO T – Att.: Cristina Afonso
Rua do Sol, 14, 2º; 4000-527 Porto / Portugal
Telef.: 351 22 340 37 12 / E-mail: espacot@espacot.pt

Leonel Morais


Departamento de Comunicação e Imagem

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.pensamentos recentes

. Desejar e querer

. Dia de lembrar o primeiro...

. Dependencias

. Escutas Telefónicas

. Indignação

. Dia Mundial do Beijo

. Desodorizantes

. Escrita

. Cena do quotidiano

. Horários

.arquivos

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

.Locais com imenso interesse

blogs SAPO

.subscrever feeds